quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A SOCIEDADE MINERADORA

Na sociedade mineradora havia grande desigualdade social. No topo da escala social estavam os RICOS E PRIVILEGIADOS: proprietários de grandes áreas de mineração, donos de muitos escravos e muito ouro.
Surgiu, em Minas, a CLASSE MÉDIA COLONIAL, pessoas que não eram muito ricas, mas também não faziam parte da classe dos trabalhadores pobres. Era um pequeno proprietário, nem rico nem pobre, donos de estabelecimentos com 3 ou 4 escravos ou médicos, advogados (profissionais liberais) ou padres. Abaixo, vinha uma multidão de TRABALHADORES LIVRES POBRES: carpinteiro, pedreiro, garimpeiro e pequenos comerciantes.
Bem abaixo, estavam os ESCRAVOS: muitos trabalhavam na mineração, pois os donos de grandes lotes de garimpos possuíam dezenas e até centenas de escravos.
A vida dos escravos na mineração era terrível. Ficavam muitas horas com a água dos rios na cintura, mesmo durante o inverno de madrugada até a noite, com berros e pauladas, com costas ardendo e muito cansados. Muitos tinham esperança de serem alforriados. Para isso teria que trabalhar duro, não fugir e ainda denunciar outros escravos desobedientes. Isso os deixava disciplinados, sob controle.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Gincana Aniversário Pró Uni 16 anos

A Gincana acontecerá no dia 1º de Outubro às 9:30. As equipes estão começando a serem formadas e esses são os participantes da nossa turma:

G1:
  • Jhady
  • Giovanna
  • Luísa
  • Marina 
  • Fernando
G2:

  • Gustavo
  • Larissa
  • Lucas S.
  • Jhonny
  • Laurindo

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

GABARITO / 7 ANO/ GRUPO 8 / HISTÓRIA

GR 8 Atividade 40 pág. 310
O europeu e o negro africano

1.Tomando por base o quadro de Rugendas, notamos os negros trabalhando (as mãos) enquanto o branco, a cavalo, só os observa. Nas cidades, era comum o uso de liteira carregada por escravos transportando o senhor para cá e para lá (os pés).
2. Negros africanos,armas/ tabaco/ aguardente / tumbeiros.
3. A Igreja exigia que todo negro fosse batizado antes do embarque para a América, assim ela ganhava um bom dinheiro, pois cobrava por negro batizado.
Como muitos negros morriam na viagem ou nos depósitos, os comerciantes preferiram batizá-los no local do desembarque, fato com o qual a Igreja não concordava.
4.D
5. Chamava-se tronco. Era importante que os outros negros assistissem à sua aplicação, para terem seus ânimos enfraquecidos e ficarem amedrontados. Os brancos assistiam às execuções por prazer e para mostrar aos seus escravos o que poderia acontecer com eles. Outros castigos eram o viramundo, em que se prendiam os pés e as mãos dos escravos; o colar com ganchos; a palmatória; a mutilação (arrancavam-se dentes, cortava-se uma mão fora, ou um seio, quebrava-se o pé) etc.
6.Bantos e sudaneses

Atividade 41
A resistência negra pág. 312
1. índio / branco / negro
Mulato: branco + negro
Cafuzo: negro + índio
Caboclo ou mameluco: branco + índio
2. C
3. B D E C F A
4. As mulheres provocavam aborto; as negras domésticas envenenavam a comida dos senhores; negros se suicidavam, fugiam e formavam quilombos.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Torneio amanhã!!!

Amanhã tem torneio de futebol e queimado
Local: FAFIC
Hora: Horário de aula
Dia: Amanhã (05/07)


domingo, 3 de julho de 2011

Tem pra Hj!!!

Resumo das págs 77 a 90 - G6 - Geografia valendo 0,5 extra
Enviar para o e-mail do professor: XRAFAEL@GMAIL.COM

quarta-feira, 29 de junho de 2011

terça-feira, 28 de junho de 2011

Tem pra amanhã...

Prova de Português - Netinha
G4:
:. Tipos de Sujeito
:. Tipos de Predicado
:. Predicação Verbal
:. Frase/Oração/Período
:. Se não/Senão
:. Na medida em que/à medida que
G5:
:. Demais/De mais
:. Onde/Aonde
G6:
:. Pronome pessoal oblíquo como objeto

Prova de Artes:
G5

segunda-feira, 27 de junho de 2011

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Voltando a postar

Gente, to me sentindo melhor, vou voltar a postar aki, nesse feriado de Corpus Christi.

Depois vai ser ( segunda) prova de español.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Tem pra amanhã...

Deveres de Casa

Português - Netinha ( professora substituta)
Pág. 117 ex 1 e 2